Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
OS PERIGOS DO PENTECOSTALISMO
OS PERIGOS DO PENTECOSTALISMO

Fonte: www.monergismo.com

 

Muitos de nós ficamos chocados e, consequentemente, profundamente
tristes há alguns anos atrás quando James Robinson, um Evangelista Batista
da Convenção do Sul, identificou-se com a doutrina Pentecostal. Um grande
número de igrejas batistas no mundo está sendo atribulado pelo aumento que
está tendo o Pentecostalismo entre elas. Há muitas igrejas que se chamam
Batista, nominalmente, e, não obstante, ao seu nome não são batistas mas, na
realidade, igrejas Pentecostais. Tais igrejas são desonestas porque se chamam
batistas quando não os são e porque estão roubando bens, imóveis e
propriedades físicas pelos quais os batistas, durante anos, trabalharam e
pagaram. Em vez de listarmos e expormos as igrejas que estão envolvidas neste
erro eu acredito que seria mais proveitoso para nós considerarmos quatro
perguntas referentes ao Pentecostalismo. Minha oração é que pela
consideração atribuída a estas perguntas e suas respectivas respostas pela
Palavra de Deus, o Senhor efetue os ajustes da forma que Ele achar
conveniente.


O QUE É O PENTECOSTALISMO?


O Pentecostalismo tem a convicção de que os dons milagrosos ou os
sinais que o Senhor deu aos Apóstolos e às igrejas primitivas não cessaram,
acreditam que eles ainda estão disponíveis e sendo exercitados pelos cristãos
hoje. O Pentecostalismo reivindica que Deus ainda dá dons milagrosos para o
homem hoje. Pode ser encontrada a listagem desses dons em Marcos 16:17-18
e 1 Coríntos 12:8-11.

Marcos 16:17-18. “E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.”


1 Coríntos 12:8-11. “Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da
sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; e a outro, pelo
mesmo Espírito, a fé, e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; e a
outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de
discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a
interpretação das línguas. Mas um só é o mesmo Espírito que opera todas
estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.”


A palavra grega charismata é traduzida na palavra “dons”, encontrada em
nossa Bíblia em Português. Paulo disse em 1 Coríntos 12:4 “Ora, há
diversidade de dons [grego charismata], mas o Espírito é o mesmo.” O
Pentecostalismo às vezes é chamado de movimento carismático devido ao
fato de dar ênfase à suposta continuação do charismata milagroso ou dons.
Há dois tipos de dons mencionados no Novo Testamento e é muito importante que nós reconheçamos a distinção existente entre eles. Há dons
ordinários e extraordinários.
Alguns dos dons chamamos ordinários porque Deus ordinariamente os
dá aos seus filhos em todos os tempos, tais como a fé, a esperança e a
caridade que Paulo menciona em 1 Coríntos 13:13, e os evangelistas, pastores
e professores em Efésios 4:11. O propósito dos dons ordinários dados à todas
as igrejas, em todos os tempos, é trazer a edificação aos santos de Deus e
acrescentar-lhes santidade e conforto.
Os dons extraordinários de Deus são assim chamados em contraste aos
que Ele ordinariamente dá em todos os tempos. Eles não são dados
ordinariamente porque foram dados em ocasiões extraordinárias. Estes dons
extraordinários eram sobrenaturais e permitiam às pessoas que os possuíam
executar ações sobrenaturais. Normalmente, quando os Pentecostais falam de
dons ou charismata, eles se referem aos dons extraordinários: cura, milagres,
línguas, revelações diretas de Deus, expulsão de demônios e até mesmo pegar
em serpentes e beber veneno.
O Pentecostalismo ensina que estes dons milagrosos, chamados
charismata, ainda estão disponíveis aos cristãos hoje. Para os cristãos a pergunta
não é: “Deus não opera milagres hoje?” A pergunta é: “Os homens recebem
os dons extraordinários do Espírito Santo hoje?”. “Os homens executam
milagres, falam em línguas, recebem revelações diretas e especiais de Deus,
expulsam demônios, ou ressuscitam um morto hoje?”
Outra coisa importante que nós temos que notar, definindo o
Pentecostalismo, é a sua doutrina de batismo com o Espírito Santo. Os
pentecostais ensinam que o batismo com o Espírito Santo é uma obra
separada da graça da salvação e a sua evidência é o falar em línguas ou o
exercício de um ou mais dons extraordinários. Eles são chamados
Pentecostais justamente porque acreditam que podem ser repetidos os
milagres do Pentecostes, especialmente, o falar em línguas, ainda hoje.


O QUE HÁ DE ERRADO COM O PENTECOSTALISMO?


Nós poderíamos mencionar muita coisa que existe de errado com o
Pentecostalismo. Poderíamos mencionar a divisão que ele parece sempre
trazer a igreja. Poderíamos mencionar a atmosfera de circo criada em cultos de
adoração na igreja. Mas, aqui queremos ver somente quatro dos erros desta
heresia que é o Pentecostalismo.
Primeiramente o Pentecostalismo busca aplicar ao nosso dia-a-dia
aquilo que pertenceu somente aos apóstolos e ao seu tempo. Os Pentecostais
ensinam que os dons extraordinários dados pelo Senhor aos apóstolos e a
outros no Novo Testamento foram criados para serem atribuídos aos cristãos
em todas as épocas.
O propósito dos dons carismáticos era dar autenticidade aos apóstolos
e às suas mensagens no princípio do Cristianismo, já que o Novo Testamento
não tinha, contudo, sido completado. Deus deu para os apóstolos alguns dons
especiais pelos quais eles e as suas mensagens eram aprovadas ou autenticadas
como sendo de Deus. No tempo do Novo Testamento, Deus falou através de
revelações diretas aos seus apóstolos e profetas. Foram necessários sinais para
confirmar que as suas mensagens eram realmente de Deus.
Paulo refere-se a estes dons como sinais de um apóstolo. Em 2
Coríntos 10-13 Paulo está defendendo a sua autoridade de apóstolo contra
alguns que evidentemente estavam reivindicando que ele não o era. Em 2
Coríntos 12:12, Paulo diz: “Os sinais do meu apostolado foram manifestados
entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas.” Paulo diz
aqui: “Eu evidencie a vós a minha chamada de apóstolo pelos sinais que era
suficiente para provar-lhe que sou um verdadeiro apóstolo de Deus.” Paulo
reafirma que os sinais e os milagres provavam que ele e a sua mensagem eram
de Deus, que eles autenticavam seu ministério como apóstolo. O selo da
aprovação de Deus para o ministério dos apóstolos foi a efetuação de
milagres, os dons milagrosos ou os sinais de um apóstolo praticados por eles.
Não estando mais os apóstolos em cena, o evangelho foi apresentado
para o mundo e o Cânon do Novo Testamento ficou completo e, dessa
forma, os dons de sinais especiais acabaram. Hebreus 2:3-4 demonstra
claramente que estes dons especiais acabaram. “Como escaparemos nós, se
não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser
anunciada pelo Senhor, foi-nos (os ouvintes) depois confirmada (passado)
pelos que a ouviram (os apóstolos); testificando também Deus com eles (os
apóstolos, não nós), por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do
Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?”
O que está errado com o Pentecostalismo? Em segundo lugar, o
Pentecostalismo dá maior ênfase ao Espírito Santo do que ao Senhor Jesus
Cristo. A melhor experiência para os Pentecostais é o batismo com o Espírito
Santo, pois eles falam muito em ser cheio com o Espírito Santo, os dons do
Espírito e ter as suas vidas cheias de bênçãos do Espírito, e para isso
procuram que o homem receba o batismo com o Espírito Santo. Esta ênfase é
contrária ao que a Bíblia ensina sobre o ministério do Espírito Santo.
De acordo com o Senhor Jesus, em João 16:13-14, o Espírito Santo não
procura trazer o homem à consciência do Espírito. Ele os faz conscientes em
relação a pessoa de Cristo. “Mas quando vier aquele Espírito de verdade, ele
vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o
que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque
há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.”
A principal função do Espírito Santo de Deus é glorificar a Cristo e não
a si mesmo. Um homem cheio do Espírito fala de Cristo, glorifica a Cristo, dá
atenção a Cristo, testemunha de Cristo, para que em todas as coisas Cristo
tenha a preeminência.
Em Atos 1:8 o Senhor, ressurrecto, ensina-nos o propósito de enviar o
Espírito Santo quando diz: “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que
há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em
toda a Judeia e Samaria, e até aos confins da terra.” No Pentecostes, quando
Pedro encheu-se do Espírito Santo, sobre o que ele pregou? Não foram as
bênçãos maravilhosas de uma vida cheia do Espírito! Quem ele glorificou?
Não o Espírito Santo. Quando Pedro encheu-se do Espírito no Pentecostes,
ele pregou a Cristo! As pessoas cheias do Espírito estão ocupadas com Cristo!
Agora, como nós reconhecemos a presença do Espírito Santo em
nossas igrejas hoje, se os dons extraordinários ou carismáticos cessaram? O
Espírito Santo, hoje, leva as coisas de Cristo e as mostra aos homens. Ele
glorifica a Cristo, e quando o Espírito Santo enche os homens eles passam a
louvar e a glorificar a Cristo.
Antes a bênção, agora o Senhor
Antes o sentimento, agora a sua Palavra
Antes os dons que eu quis, agora o próprio Doador
Antes a busca de cura, agora, apenas Cristo
Cristo é o centro da sua vida? Ele será se você for um homem cheio do
Espírito.
Um terceiro mal do Pentecostalismo é a freqüente sobreposição da
experiência humana à Palavra de Deus por escrito. Para os Pentecostais um
modo de se encontrar a verdade é olhar para si mesmo, olhar para dentro de
si, olhar para sua própria experiência. “Eu sei que isto é de Deus porque ele
me faz sentir muito bem” ou “isto me faz sentir tão correto”, eles dizem
freqüentemente.
O padrão para se determinar a verdade na religião deve ser a Bíblia, a
Palavra de Deus escrita, em vez de nossas experiências ou as de outros. Deus
diz em Isaías 8:20: “A lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta
palavra, é porque não há luz neles.” Amado leitor, este é o padrão, esta é a
regra pela qual a verdade de todas as coisas deve ser medida: a Palavra de
Deus!
Freqüentemente, quando as reivindicações dos Pentecostais são
questionadas, eles respondem: “Você não sabe por que você não tem
consciência de como eu me sinto! Você nunca experimentou o que eu
experimentei!” Talvez não, mas o que diz o livro? Muitos dirão: “Eu sei que
os dons são para hoje porque eu os tenho experimentado.” Mas se uma
experiência não se enquadra com a Palavra de Deus, ela não veio de Deus!
Qualquer experiência que não está em harmonia com a Palavra de Deus não é
do Senhor e não importa a natureza espetacular, incomum, impressionante ou
comovente que ela possa ter.
Todas as nossas experiências devem ser fundamentadas e enquadradas
pela rocha sólida da Palavra de Deus. Uma pessoa nunca deve confiar na sua
própria experiência como padrão para determinar a verdade, porque nossos
sentimentos mudam e também as pessoas são diferentes e têm sentimentos
diferentes sobre cada assunto.
Acaso podíamos conseguir,
Maior segurança do que possuir
Ss lindas promessas do nosso bom Deus,
Firmadas na Bíblia pra todos os seus
Um quarto ponto que se vê como errado no Pentecostalismo, são as
reuniões da igreja, feitas para discutir assuntos não pertencentes à Palavra de
Deus. Uma igreja verdadeira de Jesus Cristo se reúne ao redor do púlpito.
Ajunta-se para pregar a Palavra de Deus. Os pentecostais, hoje, se reúnem nas
igrejas para ouvir e receber revelações especiais, sonhos, falar em línguas e ter
experiências, ao invés de pregar a Palavra de Deus. É dedicado mais tempo à
curas e experiências do que à declaração do evangelho de Jesus Cristo.
A confraternidade existente entre as pessoas que freqüentam tais igrejas
está baseada em experiências que elas têm em comum, não em Jesus Cristo,
pela Bíblia. A sua confraternidade não está baseada na doutrina de Deus, mas
nos dons e nas experiências que eles podem proporcionar. Os Pentecostais
podem ter confraternidade com a maior parte dos extremos liberais ou com
os apóstatas que negam os fundamentos da fé e também com os
fundamentalistas e os católicos romanos, para isso só importa que todos
tenham o batismo com o Espírito Santo.
O Pentecostalismo enfatiza a experiência sobre a doutrina. A coisa mais
importante para os Pentecostais é a experiência do batismo com o Espírito e o
falar em línguas. A coisa a ser buscada e festejada não é o evangelho glorioso
de Jesus Cristo mas a experiência dos dons.


PODEMOS RECONHECER ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DO
PENTECOSTALISMO EM NOSSAS IGREJAS HOJE?


Há vários termos e práticas populares que se tornam evidentes quando
uma igreja passa a receber influência do crescente perigo do erro pentecostal.
1. Primeiro passam a ser usados os termos “Deus me disse” e “o
Senhor me falou”, implicando que Deus fala hoje além da Sua palavra escrita.
O Pentecostalismo ensina que ainda hoje Deus dá revelações diretas e
especiais às pessoas. Ele dá o dom de profecia. Bem, Deus fala aos homens e
às mulheres hoje, mas nunca de outra forma senão pela Sua Palavra escrita!
2. Outra expressão que manifesta uma tendência Pentecostal em uma
pessoa ou em uma igreja é a prática de levantar uma ou ambas as mãos
durante a oração, uma canção ou durante a pregação em um culto de
adoração. Eu tenho observado já há alguns anos que esta prática junta-se às
outras práticas pentecostais como a de falar em línguas.
3. A terceira manifestação de uma tendência Pentecostal é o uso de
certos tipos de músicas na igreja. Esse é um fato importante, porque a música
é frequentemente o meio pelo qual se tem a primeira introdução do
Pentecostalismo em uma igreja. A música Pentecostal glorifica o Espírito
Santo ou então direciona a atenção das pessoas para Ele e não para Cristo.
Por exemplo:
Há um doce Espírito aqui
e eu sei que é o Espírito de Deus
Doce presença, presença santa
Vem sobre nós encher-nos com seu amor
Te adoraremos por sua presença aqui
Que renovará os nosso corações
Louvado o nome do Senhor.
Além de ser erroneamente afeminada, esta canção coloca a atenção no
Espírito Santo em lugar de Cristo. Os Pentecostais usam a música cuja
mensagem dá valor aos sentimentos do homem e suas experiências em vez de
Deus e a Sua glória.
4. Uma quarta manifestação de uma tendência Pentecostal é o uso de
certas palavras código e frases como “IGREJA NA ROCHA”. Muitas igrejas
“Assembléia de Deus” têm esta frase escrita na sua placa. Alguns que não se
reconhecem declaradamente como Pentecostais também têm este termo em
suas placas para que aqueles que o conhecem, possam o identificar.
5. Uma quinta manifestação de tendências Pentecostais é reivindicar o
poder para expulsar demônios em nome de Jesus. Expulsar demônios é um
dos dons extraordinários listados em Marcos 16. É um sinal de um apóstolo e
como nós vimos, estes dons extraordinários cessaram com os apóstolos.
6. Uma sexta manifestação de tendências Pentecostais é orar a Deus
pedindo que Ele envie outro Pentecostes. Amado leitor, nós não precisamos
de outro Pentecostes. No Pentecostes o Senhor derramou o seu Espírito
sobre a sua igreja e nós ainda temos aquele mesmo Espírito habitando nas
igrejas hoje. O que nós precisamos hoje é o arrependimento da nossa apatia e
da nossa despreocupação com o nosso negócio, que é pregar o evangelho de
Jesus Cristo a toda criatura.


QUAIS ANTÍDOTOS EFICIENTES PODEMOS USAR CONTRA O
PENTECOSTALISMO EM NOSSAS IGREJAS?


Antídoto é um remédio que funciona objetivando obter efeito
contrário a um veneno. Quais antídotos eficientes podemos usar contra o
Pentecostalismo em nossas igrejas? O que podemos fazer de positivo para
protegermos a nós mesmos e as nossas igrejas dos erros que comete o
Pentecostalismo?
Uma coisa que nós temos a fazer é manter cuidadosamente uma
teologia centrada em Deus. A teologia dos Pentecostais é centrada no homem
e em sua experiência espiritual. “Eu nunca me senti tão bem”, eles dizem,
falando da sua religião. O sentimento pessoal e a experiência humana são mais
importantes que Cristo em sua teologia. O Pentecostalismo é egocêntrico ao
invés de teocêntrico.
A teologia bíblica está centrada em Deus e em Seu Cristo e um dos
antídotos mais importantes e eficazes contra o veneno do Pentecostalismo é
manter Deus no centro da teologia. Os pregadores de hoje fariam bem em
emular a Paulo como ele disse em 2 Coríntios 4:5. “Porque nós não pregamos
a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o nosso Senhor.”
Em igrejas que têm a Deus como o centro da teologia há uma distinta
ausência de erros que são cometidos pelos Pentecostais, mas isso não
acontece por acaso. A teologia da graça soberana de Deus se opõe e é antítese
à teologia do Pentecostalismo que está centrada no homem. Amado leitor,
quando Deus for justamente exaltado e o homem humilhado, você não terá o
Pentecostalismo em sua igreja!
Em segundo lugar, para protegermos as nossas igrejas do
Pentecostalismo, temos que promover reverência formal a Deus e à sua
majestade. O Pentecostalismo moderno perdeu o entendimento da majestade,
da dignidade e, da grandeza do maravilhoso Deus. Não há nenhuma
reverência real na adoração dos Pentecostais. Em vez de adoração há gritaria,
risadas, correria, aplausos, música gospel, línguas e todo tipo de experiência: um
circo pentecostal (carismático) por completo.
A atmosfera de circo em muitas de nossas próprias igrejas hoje não
reflete que tenhamos algum conceito bíblico da majestade do Deus Todo-
Poderoso. Quando uma igreja adquire uma visão correta de Deus, uma visão
bíblica de Deus, as pessoas deixam imediatamente tais enganos e se prostram,
humildes, aos pés do Soberano do universo. Eles, então, O adoram com
verdadeira reverência e dignidade com respeito a Sua infinita majestade. Eles
sabem algo sobre o significado de Habacuque 2:20 “… o Senhor está no seu
santo templo; cale-se diante dele toda a terra.”
Um terceiro antídoto contra o Pentecostalismo para ser usado em
nossas igrejas é darmos cautelosa e cuidadosa consideração à música que
ouvimos. O Pentecostalismo infiltra-se diretamente em igrejas saudáveis em
doutrina através da música classificada como “gospel”, utilizada em seus
cultos.
A música é um meio de idéias tão poderoso que pode trazer o
Pentecostalismo para uma igreja mesmo ela estando solidamente firme contra
ele. Conectada às corretas melodias a mensagem pode vir a ficar gravada na
mente das pessoas por anos. O rádio e a televisão aprenderam isso com seus
jingles de cerveja há muito tempo.
A mensagem que muitas destas músicas contemporâneas têm hoje é
Pentecostal. É uma visão rasa, sentimental, sensual, irreverente e barata de
Deus, centrada nas experiências do homem e não em Deus e na Sua glória. A
palavra “Eu” é sumariamente proeminente nestas músicas. A música tangida
pelo Pentecostalismo é antropocêntrica e não “Cristocêntrica”.
A música que agrada a Deus é teocêntrica. É centrada em Deus e em
Seu Cristo, adora-O e O louva, ama-O e O agradece. A música teocêntrica
compõe os salmos, os hinos e as canções espirituais que Paulo cita em
Colossenses 3:16.
Um quarto antídoto que podemos usar contra o Pentecostalismo é
desencorajarmos nossos irmãos a assistir pregadores pentecostais em
programas religiosos na televisão. Um grande número de nossos membros
convida membros da Assembléia de Deus e outros pregadores pentecostais
para dentro de suas casas todos os dias e ouvem suas músicas e mensagens
pentecostais. Não é nenhuma maravilha nossas igrejas estarem infectadas pelo
Pentecostalismo!


CONCLUSÃO


Historicamente o povo de Deus em todos os tempos tem rejeitado o
Pentecostalismo e todas as suas formas de apresentação. O povo de Deus em
todos os tempos tem rejeitado os dons extraordinários reconhecendo que eles
não são atribuídos neste presente tempo.
As igrejas, no segundo século, rejeitaram o Montanismo com todas as
suas reivindicações de dons de profecia, de falar em línguas e suas mulheres
pregadoras. Nenhum de nossos antepassados ortodoxos, desde o tempo de
Cristo até o presente momento reivindicou dons extraordinários. A Reforma
Protestante de 1500 foi uma das maiores manifestações do Cristianismo em
toda a história e nenhum dos reformadores exercitou ou reivindicou dons
extraordinários. Nenhum deles curou, operou milagres ou orou em línguas.
Na metade do século XVII tiveram um grande problema e rejeitaram os
Quakers, que eram uma manifestação do Pentecostalismo por reivindicarem
uma revelação direta de Deus através da chamada “luz interior” existente em
todo homem.
Nos últimos anos do século XX as igrejas de Deus estão sendo
infectadas com a eclosão do Pentecostalismo, ou Neo-Pentecostalismo como
é chamado quando ocorre dentre as maiores denominações. Que Deus possa
nos dar graça, conhecimento da Sua Palavra, força de caráter e honestidade
para ficarmos firmes contra este grande erro!
(Laurence A. Justice)


Fonte: www.monergismo.com

http://ipbserrolandia.blogspot.com.br/2010/01/os-perigos-do-pentecostalismo.html

Site do pastor Laurence A. Justice

http://www.victorybaptist.us/show.wc?aboutourpastor

Pastor Laurence Justice
9601 Blue Ridge Extension
Kansas City, Missouri 64134
Phone: (816) 761-7184
Email: 
lajustice99@yahoo.com